terça-feira, 15 de novembro de 2011

Não contaram... Helena Jobim Photo by Angélica Nogueira ( Lisboa - Tejo)


Helena Jobim

Não contaram 'a menina nada do que ela precisava saber.
Não explicaram.
Por isso, quando ela descobriu
a fraqueza de seu corpo
e a inutilidade de sua inteligência,
sentiu medo.
Percebeu que suas palavras se perdiam no vento,
e ninguém a ouvia, por mais que gritasse.
(As ruas eram vazias e as pessoas em suas casas
estavam muito ocupadas.)
Não contaram 'a menina daquela sede,
daquela fome e daquela inquietude,
que nenhuma água, alimento ou gesto, abrandariam.
E ela teve mais medo.
Não contaram 'a menina que ia amar
sem ser amada, esperar sem encontrar consolo,
e chorar sozinha embaixo da ponte.
E ela ficou perplexa.
Por que enganaram tanto assim a menina?

sábado, 5 de novembro de 2011

Sou pote... A poesia é água...





A poesia não é uma expressão do ser do poeta.


É uma expressão do não-ser do poeta.


O que escrevo não é o que tenho; é o que me falta.

Escrevo porque tenho sede e não tenho água.


Sou pote.

A poesia é água".


Rubem Alves



************************************



Aquilo que está escrito no coração

não necessita de agendas

porque a gente não esquece.

O que a memória ama fica eterno.

Rubem Alves

domingo, 30 de outubro de 2011

Gosto de Gente...

 ‎"Se eu gosto de poesia? Gosto de gente,
bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho,papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo."
- Carlos Drummond de Andrade - Muito inspirado!

sábado, 22 de outubro de 2011

BASTA UM OLHAR...

"Basta um olhar para que eu sinta.


Amar só vale a pena quando o olho da alma ainda brilha."

Carolina Salcides  by Luciana Matos via Facebook

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Deus disse: "Desce e Arrasa!"

"Desaprender para aprender.
Deletar para escrever por cima.
Houve um tempo em que eu pensava que, para isso
era preciso nascer de novo, mas hoje sei que dá para renascer
várias vezes nesta mesma vida.
Basta desaprender o receio de mudar!"

**Martha Medeiros 

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Gosto de Gente assim...

Gosto de Gente assim... com a cabeça no lugar, de conteúdo i...nterno, idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade.


Gosto de gente que ri, chora, se emociona com um telefonema, uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago.

Gente que ama e curte saudade, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais. Admira paisagens, poeira e chuva.

Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras, compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si, emoções que fluem naturalmente de dentro de seu ser!

Gente que gosta de fazer as coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis, por mais desgastantes que sejam.

Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender, mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto.

Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos baratos. Com muito amor dentro de si.

Gente que erra e reconhece, cai e se levanta, apanha e assimila os golpes, tirando lições dos erros e fazendo redentoras suas lágrimas e sofrimentos.

Gosto muito de gente assim... como VOCÊ! E desconfio que é deste tipo de gente que Deus também gosta!



(Artur da Távola)

sábado, 15 de outubro de 2011

AMOR E POESIAS

Amor e Poesias


"Como se não bastasse todos os puxões de orelha e lições que a vida já me deu, eu continuo com essa mania urgente de me ultrapassar.

De não conter sentidos, sentimentos, gritos, lamentos...de não me conter!

Essa coisa de procurar "sarna pra se coçar",

De querer encontrar razões, de gastar a emoção, expressar, me arriscar, pagar pra ver.

De não aceitar nada mediano, de me poupar de desistências e não economizar "porquês".

De imaginar, acreditar, questionar, sonhar, idealizar, e de querer mais, muito, tudo, sempre e pra sempre....e não me arrepender!" By Sibel

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Imagine all the people living life in peace... John Lennon

Perguntaram a John Lennon:


- Por que você não pode ficar sozinho, sem a Yoko?

E ele respondeu:

- Eu posso, mas não quero. Não existe razão no mundo porque eu devesse ficar sem ela. Não existe nada mais importante do que o nosso relacionamento, nada. E nós curtimos estar juntos o tempo todo. Nós dois poderíamos sobreviver separados, mas pra quê? Eu não vou sacrificar o amor, o verdadeiro amor, por nenhuma ilusão, nenhum amigo e nenhum negócio, porque no fim você acaba ficando sozinho. Nenhum de nós quer isto, e não adianta encher a cama de transa, isso não funciona. Eu não quero ser um libertino. É como eu digo na música, eu já passei por tudo isso, e nada funciona melhor do que ter alguém que você ame te abraçando.

domingo, 9 de outubro de 2011

O Mentor Virtual - Ed. Komedi - Campinas-SP - 2008).

"Caminhar na direção certa, ainda que devagar, é mais eficaz que andar depressa na direção errada." (O Mentor Virtual - Ed. Komedi - Campinas-SP - 2008).




A música que acompanha este post (Chura Liya) está inserida no roteiro do livro.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Voar até o infinito...




Hoje quero voar até o infinito, sentar na estrela que brilhe menos, e de lá olhar o mundo.


Quero um binóculo que me deixe ver tudo, mas em especial, que me deixe ver o sentimento das pessoas. Hoje quero sentar naquela estrela e cruzar as minhas pernas, e deixar que as lágrimas caiam na terra, uma por uma, parecendo gotas de chuva, mas ao invés de tristeza quero que minhas lág...rimas levem a alegria que não tenho no dia de hoje.

Hoje quero voar até o infinito e entender a solidão, o porquê dessa amiga invisível estar sempre tão perto, porém me deixando esse incontestável vazio que se alastra dentro do meu peito. Hoje quero entender o porquê de todos buscarem alguém para saciar essa sede de não saber viver sozinho.

Hoje quero voar até o infinito, sentar naquela estrela e de lá olhar as pessoas, entender por que elas correm tanto para ocupar o dia, se no final milhões delas tem tanto dinheiro e se sentem vazias, como eu. Hoje quero deixar a minha tristeza no infinito e voltar com a minha alegria para o mundo que me aguarda lá em baixo, mundo que me olha com olhos famintos por alegria, pois o que mais sobra nesse mundo são pessoas tristes.

Hoje quero voar até o infinito, deslizar nos anéis de saturno, olhar toda a beleza que circunda o mundo, e voltar pra casa com a alma lavada, para colocar um sorriso no rosto e contagiar as pessoas ao meu redor, pois assim como a tristeza, a alegria também é contagiante.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Lembre-se de ser você mesmo, acima de tudo!





Desejo uma semana de paz,harmonia e doce como um céu de brigadeiros.


Lembre-se de ser você mesmo, acima de tudo. Não se aflija em ser algo que você jamais seria, porque a decepção vem em proporção muito maior.

Você é único e merece viver bem da maneira que é. Se alguém não te vê bem por isso, aguarde. O tempo há de mostrar quem tem mais valor.

Não existe coisa melhor no mundo que olhar para si mesmo e dizer: eu sou assim. Mas faça isso de cabeça erguida, ciente de que está em evolução.

Existem pessoas que batem no peito um orgulho que não lhes pertence. Vivem à margem e só elas sabem o peso da máscara.

Não esqueça de agradecer a Deus por tudo, principalmente por você ser como é: alegre, divertido, calado, amigo, companheiro. Simples, acima de qualquer circunstância.

Simplicidade não combina com falsidade, nem com ostentação.

Agradeça pelos amigos verdadeiros, pela saúde.

Faça uma oração por dia para alguém que precise. Divida suas alegrias e não permita, jamais, que te façam chorar.

Sorria, varias vezes por dia.

Ame muito. Perdoe fácil. A felicidade te encontrará mais rápido que você imagina.



quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Show do Chico Lobo - Caipira do Mundo, 26/09/11, Palácio das Artes. Sensacional!


"Se o Luar do sertão faz clarão, a viola já endueta chorado, seja pelo amor de uma cabocla ou para louvar Nossa Senhora do Rosário."

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Amyr Klink - Mar sem Fim





"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”.

domingo, 25 de setembro de 2011

PAZ E POESIA




A ação Paz e Poesia é uma realização da rede Catitu Cultural, idealizada pelos poetas: Cláudio Márcio Barbosa, Clevane Pessoa e Marcos Llobus com o intuito de promover, através de expressões artísticas e culturais, o acesso à leitura e a promoção da vida e da paz. (Revista/poster Paz e Poesia)

Hoje tive a grande alegria de ter meu poema " O Luar sobre a Pomba da Paz" publicado na Revista/poster Paz e Poesia e agradeço aos seus criadores, com amor e carinho. Linda iniciativa!

O Luar sobre a Pomba da Paz
Angélica Nogueira

O luar sobre a pomba da paz;
Abala
Nosso amor iluminado pela lua;
Afaga-me
O Sol, a enluarar nossas almas;
Aclara

A pomba da paz sob o luar;
Cala
A paz a iluminar nosso encontro;
Embala-me
O luar, a ensolarar nossas vidas;
Fala

sexta-feira, 23 de setembro de 2011



“Envolvido pela inquietude dos seus sonhos, apaixonado por cada ser que não consegue tocar, um invisível anjo mergulha no âmago da sua solidão, em busca de respostas para algo que não sabe como procurar. Uma silenciosa angústia esconde o estranho desejo de conhecer a turbulência em meio à paz que o consome.” - (Mauricio A Costa, em ‘O Mentor Virtual – O Elo Invisível – Campinas-SP - 2011).

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Aprenda a lidar com a solidão...



video
"Aprenda a lidar com a solidão. Aprenda a conhecer a solidão. Acostume-se a ela..., pela primeira vez na sua vida. Bem-vinda à experiência humana. Mas nunca mais use o corpo ou as emoções de outra pessoa como um modo de satisfazer seus próprios anseios não-realizados." Liz Gilbert

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Conciso/contigo - by Angélica Nogueira - do livro "...e a louca tinha emoção!"


conciso

consigo

escrever este texto

contigo

comigo

conciso

consigo

encontrar um jeito

conciliatório para

conclamar

a todos os ventos

sentimentos

assim,

sendo sucinto

posso dizer

tudo que sinto

no fundo desse labirinto

infindo

sábado, 17 de setembro de 2011

Coaching...Centiec - coisa boa é para seguir em frente...

...retirar as máscaras e atuar a partir do Ser, de um lugar de mim mesmo onde me percebo autêntico. E, então, oferta-me a possibilidade de vincular-me e interagir com outros a partir deste lugar totalmente novo. Meu santuário de criação. E me é dado viver a vida com propósito, com sentido, que me surpreendo pensando de uma nova maneira e, alinhado com este novo pensar, vivo e me mostro e ajo no mundo com congruência. E me vejo inspirando para a vida de outros, inspiração que se renova a cada transformação, e me reinvento de momento a momento. Ao reinventar-me o mundo muda comigo, como que tocado por uma magia sistêmica e ecológica, que o eleva em espiral rumo a novas e surpreendentes possibilidades.




(Transcrito de Variações sobre um texto de Life Coaching Corporation, em 13/3/11)

Imagens e sons que falam mais que palavras. Vale a pena ganhar uns momentos e conferir! Show...

Imagens e sons que dizem mais que palavras. Vale a pena ganhar uns momentos e conferir...

domingo, 3 de julho de 2011

Pessoas beija-flores...

Há pessoas que entram em nossas vidas como beija-flores, entregando a felicidade em cada vôo. Quando se aproximam trazem-nos paz e uma nova energia para continuar. Pessoas assim são muito raras, e , quando surgem, é nosso dever recebê-las de braços, olhos, coração e alma escancarados....


sábado, 18 de junho de 2011

A própria vida torna-se a mestra

1- Acreditando no impossível, o impossível torna-se possível
2-Todo homem é um homem de brilhantes perspectivas, porque todo homem tem Deus como seu florescimento supremo
3-A crença floresce a partir do coração
4-Estou falando sobre a correnteza da consciência interna
5-Você está aqui para aprender os caminhos da confiança
6-Somente ao vivê-lo você o conhecerá
7-A própria vida torna-se a mestra
8-A espiritualidade é uma dádiva. Ela surge para aqueles que confiam, ela acontece para aqueles que amam, e que amam imensamente

Osho

sábado, 19 de fevereiro de 2011

"Todos esses que aí estão / Atravancando meu caminho / Eles passarão... / Eu passarinho!" Mário Quintana

A Rua dos Cataventos - Grande Mário Quintana

Escrevo diante da janela aberta.


Minha caneta é cor das venezianas:

Verde!... E que leves, lindas filigranas

Desenha o sol na página deserta!



Não sei que paisagista doidivanas

Mistura os tons... acerta... desacerta...

Sempre em busca de nova descoberta,

Vai colorindo as horas quotidianas...



Jogos da luz dançando na folhagem!

Do que eu ia escrever até me esqueço...

Pra que pensar? Também sou da paisagem...



Vago, solúvel no ar, fico sonhando...

E me transmuto... iriso-me... estremeço...

Nos leves dedos que me vão pintando!

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Affonso Romano de Sant'Anna - A mulher madura


O rosto da mulher madura entrou na moldura de meus olhos.

De repente, a surpreendo num banco olhando de soslaio, aguardando sua vez no balcão. Outras vezes ela passa por mim na rua entre os camelôs. Vezes outras a entrevejo no espelho de uma joalheria. A mulher madura, com seu rosto denso esculpido como o de uma atriz grega, tem qualquer coisa de Melina Mercouri ou de Anouke Aimé.

Há uma serenidade nos seus gestos, longe dos desperdícios da adolescência, quando se esbanjam pernas, braços e bocas ruidosamente. A adolescente não sabe ainda os limites de seu corpo e vai florescendo estabanada. É como um nadador principiante, faz muito barulho, joga muita água para os lados. Enfim, desborda.
A mulher madura nada no tempo e flui com a serenidade de um peixe. O silêncio em torno de seus gestos tem algo do repouso da garça sobre o lago. Seu olhar sobre os objetos não é de gula ou de concupiscência. Seus olhos não violam as coisas, mas as envolvem ternamente. Sabem a distância entre seu corpo e o mundo.
A mulher madura é assim: tem algo de orquídea que brota exclusiva de um tronco, inteira. Não é um canteiro de margaridas jovens tagarelando nas manhãs.

A adolescente, com o brilho de seus cabelos, com essa irradiação que vem dos dentes e dos olhos, nos extasia. Mas a mulher madura tem um som de adágio em suas formas. E até no gozo ela soa com a profundidade de um violoncelo e a sutileza de um oboé sobre a campina do leito.

A boca da mulher madura tem uma indizível sabedoria. Ela chorou na madrugada e abriu-se em opaco espanto. Ela conheceu a traição e ela mesma saiu sozinha para se deixar invadir pela dimensão de outros corpos. Por isto as suas mãos são líricas no drama e repõem no seu corpo um aprendizado da macia paina de setembro e abril.

O corpo da mulher madura é um corpo que já tem história. Inscrições se fizeram em sua superfície. Seu corpo não é como na adolescência uma pura e agreste possibilidade. Ela conhece seus mecanismos, apalpa suas mensagens, decodifica as ameaças numa intimidade respeitosa.

Sei que falo de uma certa mulher madura localizada numa classe social, e os mais politizados têm que ter condescendência e me entender. A maturidade também vem à mulher pobre, mas vem com tal violência que o verde se perverte e sobre os casebres e corpos tudo se reveste de uma marrom tristeza.

Na verdade, talvez a mulher madura não se saiba assim inteira ante seu olho interior. Talvez a sua aura se inscreva melhor no olho exterior, que a maturidade é também algo que o outro nos confere, complementarmente. Maturidade é essa coisa dupla: um jogo de espelhos revelador.

Cada idade tem seu esplendor. É um equívoco pensá-lo apenas como um relâmpago de juventude, um brilho de raquetes e pernas sobre as praias do tempo. Cada idade tem seu brilho e é preciso que cada um descubra o fulgor do próprio corpo.

A mulher madura está pronta para algo definitivo.

Merece, por exemplo, sentar-se naquela praça de Siena à tarde acompanhando com o complacente olhar o vôo das andorinhas e as crianças a brincar. A mulher madura tem esse ar de que, enfim, está pronta para ir à Grécia. Descolou-se da superfície das coisas. Merece profundidades. Por isto, pode-se dizer que a mulher madura não ostenta jóias. As jóias brotaram de seu tronco, incorporaram-se naturalmente ao seu rosto, como se fossem prendas do tempo.

A mulher madura é um ser luminoso é repousante às quatro horas da tarde, quando as sereias se banham e saem discretamente perfumadas com seus filhos pelos parques do dia. Pena que seu marido não note, perdido que está nos escritórios e mesquinhas ações nos múltiplos mercados dos gestos. Ele não sabe, mas deveria voltar para casa tão maduro quanto Yves Montand e Paul Newman, quando nos seus filmes.

Sobretudo, o primeiro namorado ou o primeiro marido não sabem o que perderam em não esperá-la madurar. Ali está uma mulher madura, mais que nunca pronta para quem a souber amar.

(15.9.85)

O texto acima foi extraído do livro "A Mulher Madura", Editora Rocco - Rio de Janeiro, 1986, pág. 09.